Quem Sou Eu???

Quem Sou Eu???
Uma Eterna Aprendiz...

Total de visualizações de página

Volta ao mundo... Estamos aqui!!!

Recent Visitors

Seguidores

Arquivo do blog

Postagens populares

10 de novembro de 2010

Nervura no SESC Araraquara amanhã

Série Ressonâncias apresenta espetáculo Nervura, com inspiração em Mercê Cunningham


Solo Mercê Cunningham

O projeto “Corpo Contemporâneo – Série Ressonâncias” propõe um mergulho no passado da dança, redescobrindo figuras, montagens e inspirações essenciais nesse universo: novos diretores, dançarinos e coreógrafos compartilham, em montagens e workshops únicos – mediados pela pesquisadora em antropologia do corpo e Mestre em dança pela ECA – Valéria Cano Bravi - aquilo que aprenderam com grandes mestres e orientadores.
Em novembro, o último episódio dessa seqüência será apresentado na unidade: trata-se de “Nervura”, espetáculo de Gicia Amorim. A coreógrafa possui extenso currículo artístico e absorveu influências diversas que lhe agregaram cada vez mais conhecimento: Amorim, que realizou apresentações no Centro Cultural São Paulo, no Teatro Fábrica, e em unidades do SESCSP, já foi convidada especial de grupos como o Ballet Stagium e a Cia. Cisne Negro, e travou parcerias com nomes como o músico Flo Menezes e a artista plástica Suiá Burger Ferlauto.
A artista estudou no Internacional Training Program do Merce Cunningham Studio, aprendendo a dominar a técnica do coreógrafo Merce Cunningham, conhecido por desafiar as noções tradicionais da dança e apresentar uma visão vanguardista da mesma. O extenso contato com a obra do bailarino rendeu-lhe alguns feitos: Gicia coordenou de 1997 a 1999 o projeto Cunningham, parceria da Cunningham Dance Foundation (NY) com o CED-PUC (SP) e o Sesc –SP que propagou os ensinamentos do seu mestre para outros artistas da dança. Posteriormente, “Nervura” ganharia forma e chegaria aos palcos; possuindo claros pontos de “ressonância” com a obra do bailarino nascido em Centralia, Washington.
O espetáculo, um dos mais elogiados de Amorim, foi reconhecido pela crítica com o Prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte - APCA 2002, além de vencer o concurso Rumos Dança Itaú Cultural, em 2003/2004 e o 13º Cultura Inglesa Festival, em 2009. Ele é fruto direto de anos de pesquisa acerca das “filosofias de palco” de Cunningham.
O solo de Gicia explora os limites do corpo humano sem que isso pareça algo pouco natural. A proposta é guiada pela idéia das mensagens transmitidas através das nervuras humanas, que expande tudo aquilo absorvido pelo homem. Ele será apresentado no Teatro da unidade amanhã dia 11 de novembro, às 20h. Grátis!
Antes, às 15h, Gicia Morim e Valéria Cano Bravi ministram workshop “O Método Cunninghan”; nele, exercícios de torção, curvas e inclinações são realizados para desafiar o espaço cênico e provocar resultados impactantes, que variam com diferentes estímulos.
A atividade acontece na Sala de Múltiplo Uso 4, às 15h. Grátis.


Note e Anote
SESI Música 2010 apresenta Ricardo Peres

O pianista Ricardo Peres será a próxima atração do projeto SESI Música 2010, no Teatro da unidade de Araraquara, a apresentação gratuita, será realizada na próxima sexta dia 12 de novembro, às 20h.
A proposta do trabalho atual do músico é mostrar o piano transversalizado no tempo, na geografia e na própria concepção musical. Seu repertório destaca as composições do alemão J.S. Bach, originalmente escritas para orquestra ou coral; o nacionalismo polonês da música para piano de F. Chopin; a brasilidade da obra camerística de Villa-Lobos; o tango de Astor Piazzolla e o bebop de Thelonious Monk: expressões abrangendo todo um universo de concepções musicais, instrumentais e estilísticas, apto a se materializar em um único instrumento. O espetáculo conta, ainda, com canções de outros compositores brasileiros: Ernesto Nazareth e Egberto Gismonti.
O concerto faz parte da série Pianistas – Chopin – 200 anos e oferece ao espectador a oportunidade de conferir recitais de músicos nacionais e internacionais, que executarão obras do grande mestre polonês do piano Frédéric Chopin (1810-1849) em homenagem aos duzentos anos de seu nascimento.

Histórico do músico

Ricardo Peres iniciou estudos de piano aos sete anos de idade, na capital paulista, e lançou sua carreira de pianista nove anos mais tarde, em 1982, com um recital na TV Cultura. Dois anos depois, ele gravou seu primeiro disco e em seguida transferiu residência para os Estados Unidos, onde daria continuidade aos estudos de música.
O músico se mudou para o Canadá em 1990. Desde então, Ricardo tem se apresentado pela América do Norte como pianista solista e em concertos de música de câmera, fazendo turnês, gravações para rádio – CBC, Rádio Canadá, National Public Radio – e lançando quatro CDs com obras para piano solo.
A partir de 2000, Ricardo passou a também se dedicar ao trabalho de compositor e produtor musical, se estabelecendo na Suíça entre 2001 e 2003. De volta à América do Norte, Ricardo parou em Nova Iorque, onde residiu até 2006, ano em que retornou ao Brasil.

Músico
Ricardo Peres piano

Programa
J. S. Bach (1685 – 1750)
Prelúdio Coral BWV 645
Siciliano BWV 1031
Coral BWV 147
F. Chopin (1810 – 1849)
Estudo Op. 10, n. 3
Estudo Op. 10, n. 12
Valsa Op. 64, n. 2
Improviso Op. 36
Fantasia-Improviso Op. 66
Heitor Villa-Lobos (1887 – 1959)
Bachianas Brasileiras n. 5
Ernesto Nazareth (1863 – 1934)
Odeon
Escorregando
Egberto Gismonti (1947)
7 Anéis
Thelonious Monk (1917 — 1982)
Round Midnight
Astor Piazzolla (1921–1992)
Adiós Nonino
Informações: (16): 3337.3100

Nenhum comentário: