Quem Sou Eu???

Quem Sou Eu???
Uma Eterna Aprendiz...

Total de visualizações de página

Volta ao mundo... Estamos aqui!!!

Recent Visitors

Seguidores

Postagens populares

30 de novembro de 2009

“Guiné Bissau - Nação Irmã”

O Documentário ambientado em Guiné Bissau fecha a programação especial do Cinema em Série hoje.
Photobucket
A edição especial de novembro do Cinema em Série fez uma homenagem ao Mês da Consciência Negra. O último filme do programa apresenta o documentário “Guiné Bissau - Nação Irmã”, hoje dia 30 de novembro, às 20 horas, na Casa da Cultura Luiz Antônio Martinez Corrêa. O filme tem direção do educador social Beto Oliveira, de Araraquara, e revela a sua viagem a Guiné Bissau, em junho deste ano. Beto Oliveira, que é também pesquisador e percussionista, esteve em Guiné Bissau, país do continente africano, para ministrar uma oficina de capacitação na “1º Semana da Música Brasileira em Guiné Bissau”. A formação teve como objetivo levar a cultura popular brasileira ao povo guineense e construir um processo de intercâmbio entre Brasil e África. A oficina teve duração de oito dias e todo o processo foi gravado. O material foi editado e originou o documentário, que retrata a trajetória de Beto dentro da formação, com o grupo cultural local “Netos de Bandim”. O documentário, que tem como objetivo divulgar a cultura local daquele país, também apresenta outras manifestações culturais do país. A produção do documentário fez parte do processo de intercâmbio entre o educador social e a ONG ANAJOSA (Associação Nacional de Jovens para a Segurança Alimentar), que visa a criação de um centro de informática em Guiné Bissau e a construção da sede da ONG. “Estamos começando a receber doações de computadores para enviar a Bissau e efetivar a abertura do 1º Centro de informática de Bafatá, cidade que tem aproximadamente 220 mil habitantes e nenhum computador interligado a internet”, explica Beto. O documentário tem a duração de 54 minutos. Após a exibição do vídeo será realizado um bate-papo sobre o documentário, com a presença de Júlio Antonio Aponto Té, estudante do curso de Letras da UNESP, proveniente de Guiné Bissau. Informações: (16) 3333-1159.
Photobucket

28 de novembro de 2009

Hoje tem Arrigo Barnabé

“Ao Vivo, em Porto”, é uma espécie de reinvenção de um dos discos mais significativos da música brasileira, e neste show, Arrigo toca piano a 4 mãos com Paulo Braga.

O músico Arrigo Barnabé se apresenta hoje dia 28 de novembro com o instrumentista Paulo Braga às 20h no SESC. O novo trabalho da dupla Arrigo Barnabé & Paulo Braga é “Ao Vivo, em Porto”. No CD Arrigo recupera estudos e anotações de antigas canções do álbum “Clara Crocodilo” (1980), reconstruindo-as em novas versões. Algumas partituras recebem acréscimos melódicos, caso do maracatu acentuado em “Office Boy”, e outras permitem densidade rítmica ainda maior, como “Sabor de Veneno” e “Clara Crocodilo”. O experiente instrumentista e improvisador Paulo Braga, junto de Arrigo, compõe com clareza e precisão as canções, sempre disposto a mudanças.

Arrigo Barnabé

O paranaense Arrigo Barnabé nasceu em Londrina no dia 14 de Setembro de 1951. Surgiu no cenário musical brasileiro, em 1979, quando recebeu o 1° prêmio do Festival Universitário da TV Cultura, com a música “Diversões Eletrônicas” (parceria com Regina Porto). Em 1980 lançou o álbum independente “Clara Crocodilo”, marco inicial da vanguarda paulista, apresentando uma fusão entre a música popular urbana e a música erudita contemporânea. Em 1984, com o LP “Tubarões Voadores”, iniciou uma pesquisa de unir música e história em quadrinhos. Várias vezes premiado, foi bolsista da fundação Vitae, e apresentou-se em diversos festivais pela Europa e América do Sul. Além das trilhas sonoras dos filmes “ED Mort” de Allain Fraisnot, “Alô” de Mara Mourão (em parceria com seu irmão Paulo) e “Oriundi” de Ricardo Bravo (protagonizado por Anthony Quinn), e a música para a peça “Plaidoyer en faveur des larmes d’Heraclite” de Bruno Bayen, apresentada no Teatro Nacional de Chaillot, em Paris (junho de 2003). Em 2004 compõe “Missa In memoriam Itamar Assumpção” que foi apresentada em outubro no Teatro Sérgio Cardoso, em São Paulo, e lançada em CD em outubro de 2006, no Centro Cultural Banco do Brasil. Ainda em 2004 escreve a trilha sonora para o documentário de longa metragem “Doutores da alegria” de Mara Mourão, que recebe o prêmio SESI-Fiesp de melhor trilha sonora, em 2006. Em 2005 se apresenta como narrador numa versão em português da “Ode a Napoleão” de Arnold Schoenberg, juntamente com o “Quarteto de cordas da cidade de São Paulo” e Paulo Braga (piano). Ainda em 2005 escreve a ópera “Enquanto estiverem acesos os avisos luminosos” com libreto de Bruno Bayen, apresentada no SESC Ipiranga em agosto. É professor de composição no departamento de cursos livres da ULM e idealizador e apresentador do programa Supertônica, na rádio Cultura FM, premiado em 2005 pela Associação paulista dos críticos de arte de São Paulo como Revelação de programa de rádio. Em 2006 recebe o prêmio de melhor trilha sonora do Festival de cinema da FIESP, pela música do longa “Doutores da alegria”. Em 2008 compõe “Caixa da música” e “Out of Cage” para o grupo de percussão “Drumming”, que, com encenação de Ricardo Pais, teve sua estreia absoluta no Teatro Nacional São João em junho do mesmo ano. É convidado para ser artista-residente na Unicamp durante o 1º semestre de 2008, e realiza com os alunos do curso, e alunos e professores de outros departamentos do instituto de Artes da Unicamp, o espetáculo “Salão de beleza”, apresentado no Centro de Convivência, em Campinas nos dias 8 e 9 de setembro.Ainda em 2008 realiza a curadoria e direção artística de “Crisantemúsica”, uma série de recitais no Centro Cultural Banco do Brasil em São Paulo, evento comemorativo dos 100 anos da imigração japonesa no Brasil. Para essa série, Arrigo escreveu “Viver”, música para piano, violino, koto e guitarra elétrica. Ainda em 2008 escreveu a trilha sonora para o filme de Allain Fraisnot “Família muda e vende tudo”. Confira o show no SESC hoje às 20 h, informações pelo fone (16): 3301.7500.






27 de novembro de 2009

Amanda Barros e dança no Palacete

Amanda Barros & “Peneirando Água”
O Projeto Série Brasileira do SESI apresenta hoje às 20 h Amanda Barros, que evidencia em seu show novos compositores do cenário independente do Brasil e uma profunda pesquisa de sonoridade e timbres.
Photobucket
Ocorre hoje dia 27 de novembro, às 20h, no Teatro do SESI o Show “Peneirando Água” com Amanda Barros. O projeto evidencia novos compositores do cenário independente do Brasil e uma profunda pesquisa de sonoridade e timbres. Com direção artística de Jorge Luiz Balbyns, o show também conta com as presenças de Edu Malta (contrabaixo), Fábio Velloso (bateria e percussão) e Daniel Grajew (piano, teclados).
A Cantora
Amanda Barros nasceu em uma família de músicos, é dona de um timbre encantador e um gosto refinado. Aos 11 anos de idade, subiu aos palcos pela primeira vez Amanda Barros. Era o início da promissora carreira da jovem intérprete brasileira. No repertório, obra de compositores consagrados como João Bosco, Joyce, entre outros ilustres da música popular brasileira, além de composições inéditas que mostram suas influências musicais que vão desde o jazz até a bossa nova. Artistas como Elis Regina, Egberto Gismonti, Ella Fitzgerald, Nina Simone, Chico Buarque, Tom Jobim, Hermeto Pascoal, Incógnito, The Brand New Heaves, entre outros enriquecem sua bagagem musical... Tendo sido iniciada na carreira musical por seu pai, o guitarrista Tico Morenno, Amanda já dividiu o palco com grandes músicos como Hugo Hori, Bira de Castro, Walmir Gil, Ramon Montagner, Guga Stroeter, entre outros, e já interpretou composições de Henrique Macedo (que acabou de lançar o disco “Por Nada”), Wilson Teixeira (“Almanaque Rural”), Bilo Mariano, com a música “Tudo de Bom”, no CD “Levadas e Bossas”, Salatiel Silva e Lalo Prado. Suas apresentações são marcadas por grandes arranjos, interpretação sofisticada e energia que contagia o público. Além disso, há mais de dez anos a talentosa intérprete empresta sua voz para jingles de grandes marcas como Guaraná Antárctica, Intimus Gel, chocolate Bis, Dicico, entre outras. Trilha sonora também faz parte do cardápio, com a trilha de abertura do desenho animado Inuyasha, transmitido pelo canal Cartoon Network. A evolução artística amplia ainda mais o alcance do som da cantora que, mesmo atuando de forma independente, ganha mais público e atenção, por onde passa. Informações: (16): 3337.3100.
Note e Anote
Dança é destaque no Palacete hoje
Photobucket
O Panorama das Oficinas Culturais Municipais apresenta hoje dia 27 de novembro, o espetáculo que reúne os trabalhos desenvolvidos em 2009, nas oficinas de dança. Dez coreografias e uma apoteose, esta com a participação de todos os alunos compõem o espetáculo, que será apresentado às 19 horas, no Palacete da Esplanada das Rosas Paulo A.C. Silva.A entrada franca.