Quem Sou Eu???

Quem Sou Eu???
Uma Eterna Aprendiz...

Total de visualizações de página

Volta ao mundo... Estamos aqui!!!

Recent Visitors

Seguidores

Postagens populares

30 de outubro de 2010

Panorama das Oficinas Culturais Municipais

Panorama das Oficinas Culturais Municipais inicia com Batizado de Capoeira



Ocorreu hoje  dia 30 de outubro à abertura do “Panorama das Oficinas Culturais Municipais 2010”, com o Batizado de Capoeira. A atividade aconteceu às  9 horas, no Teatro Wallace Leal Valentim Rodrigues e na Quadra de Eventos da Casa da Cultura Luiz Antonio Martinez Correia. 
O Batizado de Capoeira que abre o Panorama das Oficinas 2010 reúne, neste momento, os alunos do educador Patrick Crespo. Os capoeiristas são provenientes das oficinas ministradas na Casa da Cultura, no Centro de Artes e Ofícios (Vila Xavier) e nas unidades parceiras: Lar Escola Redenção (São José) e CAIC Rubens Cruz (Selmi Dei).
Aproximadamente 40 alunos – de um total de 80 - participam da atividade. O educador Patrick lembra que vários alunos iniciaram a oficina após os ensaios e, por isso, não participam da encenação, mas estarão presentes acompanhando o evento.
O Batizado de Capoeira conta com dança, acrobacias, palmas, berimbau e outros instrumentos de percussão. Os alunos irão receber suas graduações (cordas) e terão como padrinhos Mestres convidados de Araraquara e região, o que já é uma tradição da área.
O Panorama das Oficinas Culturais Municipais faz parte do calendário anual da Secretaria Municipal de Cultura e Fundart, e é realizado normalmente no último trimestre do ano. Participam os alunos - crianças, jovens e adultos e este ano, o tema escolhido para o trabalho anual é “Africanidades”.
Neste ano, o Panorama das Oficinas Culturais Municipais será realizado em diversas apresentações. Depois da abertura com o Batizado de Capoeira, as apresentações seguem da seguinte forma: Artes Plásticas e Artesanato ( 19 a 30 de novembro, no Palacete das Rosas Paulo A. C. Silva), Batizado de Capoeira (20 de novembro, na EMEF Waldemar Saffiotti; e 21 de novembro na EMEF Henrique Scabello), Música (26 de novembro, no Teatro Municipal), espetáculo “Humanimal” (27 de novembro, no Teatro Municipal), Dança, Teatro e Capoeira (28 de novembro, no Teatro Municipal). Vale destacar que a abertura oficial do Panorama esta programada para o dia 19 de novembro.

Informações

Local: Teatro Wallace Leal Valentim Rodrigues e Quadra de Eventos da Casa da Cultura Luiz Antonio Martinez Correia
Av. Espanha, 485 – Centro
Data: 30 de outubro



Note e Anote

No SESI

A premiada peça “A Salamanca do jarau” baseada em um conto homônimo do gaúcho João Simões Lopes Neto é atração no SESI no final de semana

Hoje sábado dia 30 e amanhà domingo dia 31 de outubro, o SESI apresenta, gratuitamente, a peça “A Salamanca do Jarau”, da gaúcha Cia Teatro Lumbra. Serão realizadas duas sessões, uma no sábado, às 20h, e outra no domingo, às 19h. A montagem é uma das 12 selecionadas para integrar o circuito Viagem Teatral 2010 - 3ª Temporada, promovido pela entidade em todo o Estado.
A história trata do encontro do pobre Blau Nunes com o guardião do Cerro do Jarau, que o convida para passar por sete provas em troca de sete poderes. Ele passa pelas provas e conhece a princesa moura, na aparência de uma fada velha - a Teiniaguá encantada pelo diabo indígena Anhangá-Pitã - que lhe oferece riquezas enquanto o que ele quer é o seu amor. Blau recebe um amuleto amaldiçoado com o qual faz fortuna, porém, é difamado e isolado. Arrependido, ele devolve o talismã e liberta o sacristão e a Teiniaguá de uma maldição de 200 anos. Os dois libertos formam o casal que dá origem ao povo gaúcho, o cerro se desfaz e Blau recupera a paz.
A peça é baseada no conto homônimo de João Simões Lopes Neto, considerado um dos primeiros escritores modernistas do Brasil a aproveitar o folclore para fazer poesia e revelar segredos, em aparência de lendas, assombrações e mistérios populares.
Neste espetáculo de animação, os sombristas interpretam os personagens e, ao mesmo tempo, narram à história utilizando luzes, sombras, objetos, figuras, silhuetas e o próprio corpo.
De acordo com Alexandre Fávero, diretor da montagem, este é um trabalho cênico de pesquisa e registro folclórico. "O resultado é a poesia audiovisual, combinada com o aprimoramento de equipamentos desenvolvidos exclusivamente para aproximar o movimento das luzes e sombras da dinâmica cinematográfica moderna, permitindo revelar um estilo contemporâneo de interpretação e de expressividade cênica, na qual os sentidos do espectador são guiados pelo universo fantástico do autor", esclarece.
A trilha sonora concentra o repertório em ritmos e canções regionais. Assim, conta com milongas, rancheiras, toadas e outras variedades de ritmos que identificam a música de origem do extremo sul do país. "Para criar o clima de magia e encantamento que o conto sugere linhas amparadas por efeitos de som, computadores e teclados são utilizados, dando um caráter modernista e original", revela.
A peça participou do 15º Porto Alegre em Cena e do 8º Festival de Formas Animadas de Jaraguá do Sul (SC). E, obteve também os seguintes prêmios: Fumproarte 2004 (Fundo artístico para pesquisa e montagem da Prefeitura Municipal de Porto Alegre), Funarte Myriam Muniz 2006 (Prêmio do Ministério da Cultura/Governo Federal para pesquisa e produção) e o Troféu Açorianos de Teatro 2007 (Porto Alegre/RS) nas categorias de melhor iluminação e melhor trilha sonora original.


O grupo

A Companhia Teatro Lumbra foi fundada há 10 anos pelo pesquisador, cenógrafo e encenador Alexandre Fávero. Ela é especializada na pesquisa e experimentação de linguagens e técnicas do teatro de animação e tem o objetivo de difundir e popularizar tal gênero de teatro. Seu objeto de pesquisa para encenações são temas ligados à cultura brasileira.
O grupo tem participado de vários festivais de teatro pelo Brasil ministrando vivências e realizando experiências que unem a arte, a ciência, a filosofia, a psicologia e o sobrenatural. O aprofundamento teórico e técnico das produções tem seu reconhecimento por meio de prêmios no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Rio de Janeiro.
Dentre suas ações para a difusão da arte do teatro de sombras e pesquisas expressivas estão o espaço virtual www.clubedasombra.com.br e a produção de artigos e imagens sobre o universo criativo. Realiza um processo continuado de trabalho em que os conceitos e processos se organizam para formar um livro sobre a estética e a técnica adquirida nos 10 anos de atividades.

Ficha Técnica:

Direção, Concepção e Cenografia: Alexandre Fávero.
Elenco: Alexandre Fávero, Flávio Silveira e Roger Mothcy
Direção Musical, Trilha Sonora Original e Arranjos: Bebeto Alves
Operação de Luz: Alexandre Fávero, Flávio Silveira e Roger Mothcy
Figurinos dos Atores: Lígia Rigo e Clube da Sombra
Produção: Cia Teatro Lumbra de Animação e Clube da Sombra Criações e Produções Artísticas Ltda
Produção Executiva: Fabiana Bigarella.
Informações: (16): 3337.3100

28 de outubro de 2010

Funk como Le Gusta no SESC

O gostoso swing do Funk como Le Gusta
A big band paulistana abre  hoje comemoração  ao Dia do Comerciário no SESC


A big band paulistana Funk como Le Gusta se estabeleceu, em mais de dez anos de estrada, como uma das maiores representantes do groove e da fusão de ritmos musicais da atualidade. Ela é uma das atrações da programação especial do SESC Araraquara em homenagem ao Dia do Comerciário.
Formado por um time de músicos e multi instrumentistas talentosos que possuem total domínio de palco, o grupo explora as nuances do funk, do samba rock, jazz, drum’n bass e dos diversos ritmos latinos em seu repertório próprio e reconhecido pelo seu poder altamente contagiante.
Com discos elogiados e lançados por todo o continente europeu e também no Japão, já realizaram parcerias com nomes igualmente influentes e importantes para nossa música: Jorge Benjor, Elza Soares, Fernanda Abreu, Sandra de Sá e Marcelo D2, Seu Jorge são alguns exemplos dessa extensa lista de colaborações.
Considerado “mensageiro do swing”, o Funk como Le Gusta se apresenta no SESC hoje dia 28 de outubro, às 21h30. Grátis! Informações: (16): 3301.7500.


26 de outubro de 2010

Cine SESC apresenta François Truffaut

O SESC vem realizando durante o mês de outubro a mostra “1959: o Ano Mágico do Cinema Francês”, que tem apresentado as películas inaugurais do movimento, produzidas por diretores diversos.Essa semana, dois novos títulos será exibida na unidade. O primeiro deles é “Os Incompreendidos”, de François Truffaut. Considerado um dos títulos definitivos da nouvelle vague, ele fala sobre aspectos pouco usuais da infância de forma inovadora e tocante, utilizando uma estética única para contar a história de um garoto diferente dos demais com a mesma idade.
O protagonista, Antoine Doinel, possui 14 anos de idade e é considerado um “garoto problema”: mata aulas, mente sobre sua vida pessoal, arranja problemas com seus amigos de classe e comete pequenos furtos. Sua vida é narrada num tom quase documental, o fato que muda seu cotidiano definitivamente: a descoberta de um caso extraconjugal vivido pela sua mãe, que leva o garoto a repensar o seu estilo de vida e conceitos que considerava certos em sua vida.
Inteiramente filmado em preto e branco e estrelado por Jean-Pierre Léaud, “Os Incompreendidos” é um filme que trata de mudanças numa importante fase da vida e da solidão aparentemente injustificável que existe em cada ser humano. Será exibido hoje 26 outubro às 20h. Recomendado para maiores de 14 anos. Grátis, no Teatro.
Fechando a mostra “1959”, o SESC Araraquara apresenta “Pickpocket”, dirigido por Robert Bresson. A película é narrada por Michel, personagem que, assim como o Antoine Donel de Truffaut, possui ares de anti-herói. O jovem em questão possui uma considerável inclinação ao crime e foge das regras convencionais estabelecidas pela sociedade francesa: pouco ligado a família, deslumbra-se com a possibilidade de viver uma vida sem lei, inspirado pela leitura do livro “Prince of The Pickpockets”, de George Barrington, que conta a história de um famoso batedor de carteiras.
Ao envolver-se com criminosos de maior porte, Michel passa a ousar em suas artimanhas e ser perseguido pelas autoridades. Os acontecimentos de sua vida o aproximam de Jeanne, vizinha de sua mãe, com quem possui certa tensão amorosa. Esses fatores começam a desencadear no rapaz uma mudança de pensamentos. Ele passa a refletir sobre os caminhos e atitudes que tem tomado e para onde elas irão levá-los. “Pickpocket” será exibido no próximo domingo dia 31 de outubro, às 14h. Livre. Grátis, no Teatro



25 de outubro de 2010

Cinema, Debate e Café

Vamos???

I Bienal de Gravura de Araraquara homenageia Lívio Abramo

I Bienal de Gravura de Araraquara homenageia Lívio Abramo

O Teatro Municipal de Araraquara recebe de 25 de outubro a 24 de novembro obras de renomados gravuristas

Gravura: Ulysses Bôscolo de Paula



Ocorre no próximo dia 25 de outubro o início de um novo projeto cultural em artes visuais, realizado pela Prefeitura de Araraquara por meio da Secretaria Municipal da Cultura e Fundart: a 1ª Bienal de Gravura Lívio Abramo. O objetivo é homenagear este ilustre araraquarense, e promover a arte da gravura, apresentando e divulgando gravadores convidados e seus trabalhos.
A Bienal se destaca por trazer o nome de Lívio Abramo - gravador, desenhista e pintor brasileiro de renome internacional, que introduziu no Brasil a gravura moderna.
Para o prefeito Marcelo Barbieri, "a intensidade cultural de Araraquara pode ser observada pelos projetos desenvolvidos pela Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria de Cultura e Fundart. A cada momento, as políticas públicas desta área são fortalecidas e as ações culturais se expandem e atingem toda a população araraquarense. Isso se potencializa quando talentos de nossa terra, almas emotivas e sensíveis como o artista Lívio Abramo, possuem um espaço de honra na memória e na história de nossa trajetória cultural".
A história da carreira de Lívio Abramo é um paralelo estreito com a maioria dos grandes nomes deste tempo ou do passado: uma vida cheia de lutas, atravessada por uma visão humana do mundo e um conhecimento profundo dos problemas sociais; uma consciência aguda das exigências técnicas de sua profissão; autodidata no seu aprendizado do essencial e ao mesmo tempo, entretanto, um grande mestre quando ensinava e transmitia aos outros os segredos do manejo do buril e da goiva.
O elemento marcante na obra de Lívio é o ritmo que imprime em todas as suas composições, ritmo que ora tende às ebulições e sinuosidades barrocas, ora a austera simetria das fachadas ou o jogo assimétrico de planos e volumes. O ritmo sempre esteve presente tanto em sua fase lírica quanto em sua fase de protesto juntando definitivamente dois pólos - forma e expressão.

Pré-abertura

A Bienal de Gravura Lívio Abramo terá a participação como pré-abertura no dia 25 de outubro do duo 6emeia, de São Paulo, com os artistas Leonardo Dellafuente e Anderson Augusto “São”, na segunda-feira, às 14 horas, na Praça Lívio Abramo, que é a praça onde está localizado o Teatro Municipal. Os artistas irão fazer intervenção, propondo uma matriz que será impressa, tendo como suporte a cidade. O público presente será presenteado com a gravura.
Depois de alguns anos pintando em bueiros, postes, tampas de esgotos e calçadas, o 6emeia agora olha e age sobre o asfalto da cidade. O grupo vê nele, um novo caminho, muito maior do que uma simples separação de duas calçadas.
“Assim como nossa pele é testemunha silenciosa de nossas mudanças e caminhos, o asfalto carrega em si todas as cicatrizes que uma outrora o progresso trouxe e causou”, apontam os artistas do 6emeia. Assim, realizam traços e curvas, passam tinta e tiram dali uma gravura, feita no asfalto, “carregada de fatos de ontem e com linhas e marcas intencionais de hoje”. O 6emeia transcende toda e qualquer regra sobre gravura, escrevendo um novo caminho, escrito sobre a pele da cidade e sob os pés de todos nós, com a técnica da Gravura sobre asfalto, impresso sobre tecido.

Para conhecer mais sobre o trabalho do 6emeia, acesse: http://www.6emeia.com/

Abertura oficial

A abertura oficial da Bienal de Gravura acontece no dia 28, quinta-feira, às 20 horas, no Teatro Municipal. A programação conta com a exposição: "Goeldi, Abramo e Grassmann", realizada pela Secretaria de Estado da Cultura, por meio do Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP), em parceria com a ACAM Portinari e prefeituras do interior.
Até o início de 2011, a mostra, que já passou por São Simão, vai percorrer mais três cidades paulistas – Araraquara, Sertãozinho e Ribeirão Preto –, com obras de três artistas que são referência na gravura e nas artes gráficas brasileiras, Lívio Abramo (1903 - 1992), Oswaldo Goeldi (1895 - 1961) e Marcello Grassmann (1925).
O projeto, que teve início em São Simão - onde nasceu o artista Marcello Grassmann - é uma oportunidade de reflexão sobre as contribuições desses artistas para o cenário nacional das artes visuais e para a construção da identidade brasileira.
Com curadoria de Marcelo Guarnieri, a exposição é constituída por xilogravuras, gravuras em metal e desenhos em grafite e nanquim, totalizando 47 obras, e evidencia um recorte dentro da poética de cada artista: a solidão e as questões soturnas de Goeldi (9 gravuras na exposição), o mítico e a bestialização do homem nos trabalhos de Grassmann (22 gravuras) e o grafismo e contexto social presente nas obras de Abramo (16 gravuras) - algumas das características encontradas na exposição e em boa parte da produção realizada pelos artistas.
A mostra pode ser conferida no Teatro Municipal, de segunda a sexta, das 9h às 11h30, e das 13 às 17h. A entrada é gratuita.

Casa da Cultura

Além da exposição no Teatro Municipal, a Casa da Cultura Luiz Antônio Martinez Corrêa também é palco da Bienal de Gravura, onde estarão expostas obras de artistas convidados e a Sala Especial Lívio Abramo.
Com 26 artistas participantes – sendo quatro deles de Araraquara e um do Canadá – a exposição apresenta 70 obras, incluindo os trabalhos da Sala Lívio Abramo, com obras da Pinacoteca Municipal Mario Ybarra de Almeida.
"A 1ª Bienal da Gravura Lívio Abramo, recebe seu nome neste importante projeto cultural de nossa cidade. É um momento de reconhecimento deste artista e cidadão que possuía uma forte e profunda convicção no homem - humanismo – confirmada por suas ações e por suas opções artísticas”, explica a secretária municipal da Cultura, Euzânia Andrade. “Lívio apresentou ao longo do seu trabalho emoções e sentimentos do ser humano, não deixando dúvida quanto ao seu projeto de vida e sua preocupação em exprimir e revelar toda a angústia vivida pelo homem em sua produção estética. Sua proposta sempre foi em busca do desenvolvimento humano e essa Bienal é uma justa homenagem".
Tanto a exposição na Casa da Cultura como a do Teatro Municipal estão abertas para visitas agendadas por escolas ou grupos interessados. O agendamento pode ser realizado pelo fone: (16): 3333.1159.


Quem foi Lívio Abramo?




















Lívio Abramo nasceu em Araraquara, dia 26 de junho de 1903 e faleceu em Assunção (Paraguai) no 26 de abril de 1992.Foi um gravador, desenhista e pintor brasileiro de renome internacional.
O artista realizou suas primeiras gravuras em 1926 quando, bastante influenciado pelos temas humanos e sociais do expressionismo europeu, introduziu no Brasil a gravura moderna.
Lívio é parte de uma família muito influente na arte, na imprensa e na política brasileira. Filhos de pais italianos, Lívio e seus irmãos e irmãs - Athos, Fúlvio, Beatriz, Lélia, Mário e Cláudio - cresceram em um ambiente especial e tornaram-se artistas, jornalistas e intelectuais, cujas contribuições foram importantes para o ambiente cultural brasileiro.
Lívio foi casado com Anna Stefania Lauff, filha do militante comunista húngaro Rudolf Josip Lauff, membro do Exército Vermelho da URSS.
Lívio queria ser arquiteto, mas por motivos de ordem econômica – com a crise econômica de 1928-1929 - foi impedido de terminar seus estudos. Talvez tenha sido esse o motivo que tenha influenciado para que a arte da gravura tivesse compensado a sua frustração.
Lívio tornou-se artista por conta própria - autodidata, desenhava desde criança. Por volta dos 27 anos, ao deparar-se com uma exposição de gravuras dos expressionistas alemães, em São Paulo, sentiu a força de expressão das gravuras de Kathe Kollwitz e demais artistas, e despertou sua vocação.
“Em verdade, o gosto pela gravura começou a despontar em mim quando, ainda estudante, em casa de meus pais, eu admirava as vinhetas gravadas em madeira que ilustravam os poemas de um famoso poeta italiano, e de autoria de um gravador de nome De Károlis”, comenta o artista em artigo do site pitoresco http://www.pitoresco.com.br/
A preocupação com a justiça social acompanhou Livio desde sempre, levando-o, ainda jovem, a militar no Partido Comunista, a interessar-se pelo Trotskismo e pelo socialismo. Nessa época colaborava fazendo ilustrações para tablóides sindicalistas. Em 1932, foi expulso do Partido Comunista, acusado de trotskismo.
O reconhecimento artístico chegou mais tarde, aos 47 anos de idade, quando suas xilogravuras alcançaram um grau de depuração técnica e ao mesmo tempo uma riqueza impressionante de detalhes. Suas xilogravuras eram extremamente precisas em todos os aspectos.
Livio ganhou prêmios, como o de viagem ao exterior do Salão Nacional de Belas Artes, em 1950, com as 27 ilustrações para o livro "Os Sertões", de Euclides da Cunha. Também ganhou o 1º Prêmio de Gravura Nacional da 2ª Bienal de São Paulo, em 1953. O artista também possui algumas honrarias, como a ordem do Rio Branco.
Conheceu Oswald de Andrade, Tarsila do Amaral, pela qual nutria enorme admiração e admitiu ter sido influenciado intelectualmente e por sua obra. Foi aconselhado, em início de carreira, pelo pintor Lasar Segall. Era amigo de Portinari, Bruno Giorgi, entre outros importantes artistas.
Imprimiu em seu trabalho - gravuras, desenhos, charges, design de objetos, textos críticos, aulas, curadoria de exposições – a energia que não lhe faltava. Lívio Abramo interagiu não somente na realidade cultural brasileira, como também em outra realidade: a paraguaia, onde atuou metade da sua vida.
No Brasil, foi desenhista, jornalista, gravador. Com Maria Bonomi, uma de suas alunas, fundou o Estúdio Gravura, onde também lecionava. De acordo com Lélia Abramo, o Estúdio Gravura foi uma de suas mais importantes realizações.
No final da década de 50, Abramo foi convidado a integrar a Missão Cultural Brasil Paraguai. O artista visitou Assunção pela primeira vez em 1956 e apaixonou-se pela paisagem paraguaia. Em 1961, recém-aposentado como redator do jornal o Estado de São Paulo, instalou-se definitivamente em Assunção, como responsável pelo setor de arte do Centro de Estudos Brasileiros - CEB. O fato de estar em Assunção deu a Lívio certa mobilidade dentro do continente. Tornou-se conhecido e respeitado no meio acadêmico e cultural Paraguaio e latino-americano.
Lívio Abramo realizou várias mostras no Paraguai e em países da América do Sul - Uruguai (Montevidéu), Bolívia (La Paz), Argentina (Buenos Aires), México (Cidade do México) - entre outros.
Abramo foi um homem que não se curvou diante das dificuldades e, mesmo quando a vida não lhe dava motivos para sorrir, não deixava de acreditar na possibilidade de transformar o mundo.


Confira os artistas participantes da Bienal de Gravura Lívio Abramo:


Adriano Gambim Rocha (São Paulo-SP)
Ana Alice Francisquetti (São Paulo-SP)
Angela Leite (Rio de Janeiro-RJ)
Augusto Sampaio (São Paulo-SP)
Claudio Caropreso (São José dos Campos-SP)
Constança Lucas (São Paulo-SP)
Eduardo Garofalo (Guarulhos-SP)
Fernando Monteiro de Barros (São Paulo-SP)
Francisco José Maringelli (São José dos Campos-SP)
Gorgia Volpe (Quebec-Canadá)
Gustavo Lucatelli (Sorocaba-SP)
Isabel Ayres (São Paulo-SP)
Marcelo Gandhi (São Paulo-SP)
Leonardo Dellafuente (São Paulo-SP)
Marcio de Andrade Pannunzio (Casa Branca-SP)
Marcos Paulo Feliciano (Guarulhos-SP)
Maria Batista (Araraquara-SP)
Marilu Trevisan (Piracicaba-SP)
Mauricio Vera Morales (São Carlos-SP)
Mazzon Gil (Araraquara-SP)
Paula Sotratto Zacaro (São Paulo-SP)
Nanda Ribeiro (Araraquara-SP)
Sergio A. Ferreira (São Paulo-SP)
Sílvia Ruiz (São Paulo-SP)
Sueli Ferrers (Araraquara-SP)
Ulysses Bôscolo de Paula (São Paulo-SP)

Anjo Perdido


Anjo Perdido...

Avisto ao longe um vulto
E o meu coração me diz
Siga, vá até lá
Então caminho...
E aos poucos a luz vai ficando para trás
Mas mesmo não sabendo o que encontrar
Continuo caminhando...
A estrada é desconhecida
Mas algo dentro de mim me leva sem pedir
O escuro da noite, sensações intrigantes
Faz de mim um ser diferente neste momento
Ouço um som, mas ainda não posso saber donde vem
Sinto um arrepio, um calafrio e uma enorme vontade de chorar
Mas ainda não entendo a razão
Continuo seguindo a escuridão
Sem medo e com medo
Sigo mais uma vez
O meu frágil e sábio coração
De repente tropeço em algo e paro
Ao parar a lua que estava escondida aparece
Como uma luz tão profunda que me assusta
Me cega...
Mas aos poucos diminui como uma chama de vela
E ao olhar me deparo com um anjo caído a chorar
Aproximo-me sem medo e sem pensar
Algo me trouxe para este lugar
Ele me olha e me diz:
Estou perdido
Sozinho
Sofrido
Doente
Cansado
Deprimido
Não sei para onde ir
O que fazer
Falta-me coragem
Força e fé
Preciso de ajuda
Estou fraco, sem forças para nada
Mal posso voar
Passam muitos por mim
Mas ninguém olhou
Em meus olhos como tu
Você pode me ajudar disse ele?
Olhamo-nos com magia
Com carinho
Com amor...
Sentei-me ao seu lado
Beijei a sua face segurei em sua mão
Havia magia
Encanto
Amor
Doçura
Abraçamo-nos e o mundo parou
Ficamos horas assim
Grudados, abraçados, entrelaçados
Ele dormiu em meus braços
Ao acordar me olhou e perguntou?
Estou no céu?
Eu disse:
Sim, está
Mas terei que levá-lo de volta
Para que fiques aqui
Terá que voltar a voar
Recuperar suas forças
E descobrir o verdadeiro
Significado de algo sagrado
“O Amor”
Tu esqueceste
Que antes de amar alguém
Temos que ter amor próprio?
Vou levá-lo de volta para que reflita
Cuide de você
Saiba quem tu és verdadeiramente
E principalmente saiba para onde quer ir
Estar e com quem...
O céu está sempre com as portas abertas
Mas para entrar é necessário saber
O quanto amas a tua vida
Levei-o de volta para a escuridão
Mas antes de partir disse a ele:
Levo você comigo em meu coração
E deixo para ti um pedido
“Não desista de você”!!!

Maribel Santos
“Minha boca, janela da minha alma.”

20 de outubro de 2010

Espaço Casa 2010

Mostra de design e decoração é  novidade do Shopping Jaraguá
chaise


Ocorre do dia 20 a 24 de outubro no Shopping Jaraguá Araraquara, em parceria com a “Movida Marketing e Eventos” e com a “Compose Produções”, “Espaço Casa 2010”. O evento, em sua primeira edição, apresentará aos clientes uma mostra de design e decoração, trazendo as novidades e tendências deste setor e estará aberta ao público durante o funcionamento do shopping das 10 às 22h.
Os lounges serão montados por arquitetos especializados e estarão espalhados por ambientes, onde os expositores demonstrarão aos clientes seus produtos de uma maneira inusitada, contando com todo o conforto que o shopping proporciona.
Esta será uma grande oportunidade para encontrar num único lugar os melhores fornecedores e empresas do segmento, juntamente com muita beleza, aconchego e estilo.




Cinema no Distrito Federal

43ª edição do Festival de Brasília tem longas, curtas e digital na competição

Cinema

A organização do Festival de Brasília divulgou ontem a lista dos filmes selecionados para sua 43ª edição, marcada para novembro de 23 a 30. Seis longas-metragens e 12 curtas serão exibidos na mostra competitiva, que vai distribuir um total de R$ 555 mil em prêmios do júri oficial, popular e paralelos. "A Alegria", de Felipe Bragança e Marina Meliande – o fechamento da trilogia "Coração no Fogo", exibido em Cannes neste ano –, "Transeunte", de Eryk Rocha, e o experimental "O Céu Sobre os Ombros", de Sérgio Borges, estão entre os competidores, assim como "Amor?", de João Jardim, o único com elenco famoso (Lilia Cabral, Julia Lemmertz e Eduardo Moskovis, entre outros). Dois documentários estão na seleção: "O Mar de Mário", sobre o cineasta Mário Peixoto, do clássico "Limite", e "Vigias". No total, foram recebidas 455 inscrições – 36 longas, 118 curtas em 35mm e 301 curtas/médias em digital. A cerimônia de abertura, no Teatro Nacional, contará com o curta "50 anos em 5", de José Eduardo Belmonte ("Se Nada Mais Der Certo") e a cópia restaurada de "Liliam M. – Relatório Confidencial" (1974), de Carlos Reichenbach. A competição em 35mm será realizada no Cine Brasília, com reprise no Centro Cultural Banco do Brasil e Cinemark Píer 21. Já a mostra competitiva digital, na Sala Martins Pena do Teatro Nacional Claudio Santoro, com reprise no CCBB de Brasília, quando serão exibidos 22 filmes.


Veja abaixo a lista dos filmes selecionados:

Longas – competição 35mm
"A Alegria", de Felipe Bragança e Marina Meliande (106 min, RJ)
"Amor?", de João Jardim (100 min, RJ)
"O Mar de Mário", de Reginaldo Gontijo e Luiz F. Suffiati (72 min, DF)
"O Céu Sobre os Ombros", de Sérgio Borges (72 min, MG)
"Transeunte", de Eryk Rocha (100 min, RJ)
"Vigias", de Marcelo Lordello (70 min, PE)

Curtas – competição 35mm
"A Mula Teimosa e o Controle Remoto", de Hélio Villela Nunes (15 min, SP)
"Acercadacana", de Felipe Peres Calheiros (19 min, PE)
"Angeli 24 horas", de Beth Formaggini (25 min, RJ)
"Braxília", de Danyella Neves e Silva Proença (16 min, DF)
"Cachoeira", de Sergio José de Andrade (13 min, AM)
"Café Aurora", de Pablo Pólo (19 min, PE)
"Contagem", de Gabriel Martins e Maurilio Martins (18 min, MG)
"Custo Zero", de Leonardo Pirovano (12 min, RJ)
"Fábula das Três Avós", de Daniel Turini (17 min, SP)
"Falta de Ar", de Érico Monnerat (21 min, DF)
"Matinta", de Fernando Segtowick (20 min, PA)
"O Céu no Andar de Baixo", Leonardo Cata Preta (14 min, MG)
Mostra competitiva digital (curtas e médias)
"Com a Mosca Azul", de Cesar Netto (15min, SP)
"Dalva", de Filipie Wenceslau (15min20, BA)
"De bem com a vida - Carlos Elias e o Samba em Brasília", de Leandro Borges (20 min, DF)
"Do Andar de Baixo", de Luisa Campos e Otavio Chamorro (13 min, DF)
"Entrevãos", de Luísa Caetano (19 min, DF)
"Esta Pintura Dispensa Flores", de Luiz Carlos Lacerda (20 min, RJ)
"Herói", de Thiago Ricarte (20 min, SP)
"Lendo no escuro", de Marcelo Pedrazzi (16 min, RJ)
"My Way", de Camilo Cavalcante (7 min, PE)
"Naquela Noite Ele Sonhou com Um Mar Azul", de Aristeu Araújo (20 min, PR)
"Negócios à Parte", de Juliana Botelho (15 min, DF)
"O Eixo", de Ricardo Movits (7 min, DF)
"O Filho do Vizinho", de Alex Vidigal (6 min, DF)
"O Gato na Caixa", de Cauê Brandão (19 min, DF)
"O Silêncio do Mundo", de Bárbara Cariry (10 min, CE)
"Onde Você Vai?", de Victor Fisch (14 min, SP)
"Queda", de Pablo Lobato (14 min, MG)
"Queimado", de Igor Barradas (19 min, RJ)
"Só mais um filme de amor", de Aurélio Aragão (18 min, RJ)
"Tempo de Criança", de Wagner Novais (12 min, RJ)
"Traz Outro Amigo Também", de Frederico Cabral (15 min, RS)
"Últimos Dias", de Yves Moura (15 min, RJ)


Note e Anote
Pura Gafi comanda “Noite do Dance” no SESC


A tradição do samba “das antigas” será bem representada em nova “Noite do Dance a Dois”: O grupo Pura Gafi, especialista em sucessos da música latina e também do samba de gafieira comanda a animação na noite de quinta, 21 de outubro.
Homenageando os clássicos bailes cariocas, a banda apresenta um vasto repertório que transita entre momentos dançantes e outros mais calmos, mas igualmente envolventes: valorizando arranjos de metais próprios e postura de palco calorosa, os músicos João Albuquerque (violão/voz), Alcides Cardoso (sax tenor), Fabiano Nunes (contrabaixo), Fortunato (trombone), Juninho Melo (bateria) exploram os sons nacionais e flertam com os cha-cha-cha, bolero e foxtrots, tornando esse caldeirão de ritmos ainda mais rico.
Os frequentadores do SESC Araraquara que aprenderam mais sobre os ritmos da salsa nas aulas promovidas pelo projeto Dance a Dois e também os interessados em vivenciar uma noite contagiante poderão mostrar o que sabem ao som da Pura Gafi em 21 de outubro, às 21h. Grátis!



Moda no Senac

6ª edição do Caderno Perfil Moda Inspirações e Tendências Inverno 2011


Moda


Amanhà quinta-feira dia 21 de outubro, às 19h30, no Senac Araraquara, o lançamento da 6ª edição do Caderno Perfil Moda Inspirações e Tendências Inverno 2011. A apresentação do material será complementada por palestras e workshops sobre tendências para a estação, programados entre 15h e 21h.As atividades são gratuitas e voltadas a empresários e profissionais do segmento têxtil, do vestuário, de couro e calçados. Reunindo informações de mercado e comportamento, o Caderno Perfil Moda antecipa novidades em estilo, design e tendências dando aos profissionais do setor subsídios para a inovação no desenvolvimento de suas coleções e matérias-primas.
Elaborado por 40 pesquisadores de 16 estados brasileiros, que participam do Programa SENAI de Gestão de Design, a publicação também traz referências da cultura nacional, incentivando o design brasileiro como valor agregado ao produto.
A proposta desta iniciativa é estimular as empresas a observar o comportamento e perfis de seus consumidores, elaborando produtos diferenciados e competitivos, que atendam as necessidades e desejos do público-alvo.
Palestras complementam as informações do material, ressaltando a importância da pesquisa e do planejamento estratégico no desenvolvimento de novos produtos.
Nesta edição o Caderno Perfil Moda apresenta as tendências do Inverno 2011 para os públicos feminino, masculino e infantil, segmentados em cinco perfis de consumo: contemporâneo, esportivo, romântico, irreverente e sensual.


Tendências - Inverno 2011


Contemporâneo - composto por produtos atemporais, este estilo permite combinações que não estão restritas a uma determinada estação. Com inspirações em décadas passadas, os designs das peças surgem com a ideologia dos anos 60 e urbanidade com toque minimalista dos anos 90.

Esportivo - a flexibilidade e o movimento são pontos-chave no inverno deste perfil, no qual as formas, cores e estampas remetem ao universo dos esportes urbanos e de neve. Os tecidos tecnológicos e peças amplas preservam o conforto, aquecimento e praticidade dos produtos.

Irreverente -looks compostos por sobreposições e assimetrias garantem inovação a este consumidor criativo. Camadas coloridas e estampadas se fundem em desenhos abstratos e geométricos criando novos patchworks. A mistura de materiais e cores são elementos marcantes, que acabam com a monotonia dos tons sóbrios característicos do inverno.

Romântico - com ares campestres a estação para o perfil romântico se apresenta delicada e nostálgica, com referências nas formas da década de 50. Tecidos ornamentados e trabalhos manuais permeiam entre transparências veladas, brilhos contidos e superfícies lanosas. Os detalhes são sutis e precisos em laços e debruns.

Sensual - a estética da acumulação norteia as criações do inverno para este público, onde a mescla de formas, cores e texturas de origens distintas são apostas para se produzir o novo. Fendas, decotes e rendas revelam, estrategicamente, partes de corpo que, somadas aos tons negros e coral, remetem à sensualidade, muito bem aceita pela consumidora brasileira.

Inscrições: (16): 3336.2444









13 de outubro de 2010

Dia 12 de Outubro Dia Nacional da Leitura

Dia 12 de Outubro Nacional da Leitura

Instituto Ecofuturo mobiliza rede de parceiros para o “Dia Nacional da Leitura”




“Ler é beber e comer. O espírito que não lê emagrece como o corpo que não come.” {Victor Hugo}



Em 2009, a campanha impactou cerca de 3 milhões de pessoas e, neste ano, o Instituto Ecofuturo lança uma Biblioteca Virtual com conteúdos e acervo que orientam a promoção de leitura de literatura.
Ciente de que a formação leitora é um processo longo, que deve iniciar na primeira infância, o Instituto Ecofuturo realiza, pelo segundo ano, a campanha nacional de sensibilização para o Dia Nacional da Leitura, celebrado hoje dia 12 de outubro. Com o mote “Todo dia é dia de ler. Lê para mim!”, o Ecofuturo busca ampliar a rede de parceiros para aumentar as ações de leitura literária para crianças, até mesmo para os bebês. A novidade desta edição fica por conta da Biblioteca Virtual Ecofuturo, espaço com diversos conteúdos que orientam a promoção de leitura, incluindo uma publicação inédita, com texto de autores renomados das diversas áreas do conhecimento, sobre a importância da literatura.
O Dia Nacional da Leitura foi instituído em 2009 pela Presidência da República, após três anos de uma mobilização liderada pelo Instituto Ecofuturo. A campanha deste ano pretende atingir milhares de pessoas a partir de uma rede inicial de mais de 40 parceiros, que estão sendo convidados a participar da ampla divulgação e a desenvolverem ações de promoção de leitura, além de convidar a sociedade a conhecer, utilizar e até apoiar melhorias em bibliotecas públicas, escolares e comunitárias.
O objetivo da campanha é mostrar que o gosto pela leitura nasce no colo dos pais e se estende por toda a vida. Essa constatação vem de diversas pesquisas, como a Retratos da Leitura no Brasil, do Instituto Pró-Livro, que aponta que 79% do público considerado leitor se refere à mãe ou ao pai como a pessoa que mais o influenciou a ler.
Os motivos para incluir a leitura na vida dos pequenos tão cedo são muitos: ler em voz alta ajuda no desenvolvimento da linguagem falada e na aprendizagem da escrita; estimula a curiosidade e a criatividade, além de aproximar pais e filhos. “Ler é um hábito social. Não nascemos leitores; nos tornamos leitores por convívio e por contato. Por isso, a oferta da leitura literária pelos pais, de forma amorosa, é fundamental para que a prática se torne agradável e contribua para o letramento das crianças, preparando-as para momentos futuros em que a leitura, em seus múltipos suportes e funções, vai demandar esforço e nem sempre será um prazer”, afirma Christine Fontelles, diretora de Educação e Cultura do Instituto Ecofuturo.


Biblioteca Virtual

Pensando em quem não sabe como realizar ações de promoção de leitura – em casa, na escola, em bibliotecas e em parques, entre outros lugares – ou não tem ideia do que ler para crianças e jovens, o Instituto criou a Biblioteca Virtual Ecofuturo, que estará hospedada no site http://www.dianacionaldaleitura.com.br e conterá textos de referência, especialmente selecionados, além de acervo literário para apoio e consulta, disponíveis para download gratuito.
Na Biblioteca Virtual Ecofuturo, estão disponíveis publicações do próprio Instituto, como o Passaporte Brincar de Ler e o Passaporte da Leitura e da Escrita, que apresentam dicas para pais e professores sobre como iniciar na vida das crianças uma rotina de leituras de forma adequada e também prazerosa e divertida.
Outro título que está acessível é a obra inédita Pra que serve a literatura?, publicação organizada pelo Ecofuturo com textos de pesquisadores e escritores renomados como o neurocientista Miguel Nicolelis, a escritora Ana Maria Machado, o psicanalista Paulo Bloise, a fonoaudióloga Lucila Pastorelo, a antropóloga Betty Mindlin, o psicólogo Yves de La Taille, o linguista Percival Leme Brito, a doutora em literatura Nilma Lacerda, a pedagoga Maria Betânia Ferreira e a secretária Geral da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ) Beth Serra.
No endereço eletrônico ainda há o Roteiro para Leitura Pública - material que indica como preparar o ambiente e se preparar para oferecer bons momentos de leitura, com sugestão de acervo para crianças, jovens e adultos- e artigos de especialistas renomados que contam porque é importante oferecer literatura desde a primeira infância.
Em 2009, o primeiro ano da campanha de mobilização para o Dia Nacional da Leitura, cerca de 3 milhões de pessoas foram impactadas e a articulação intersetorial realizada pelo Ecofuturo resultou em eventos de leitura que envolveram 70 cidades em dez estados brasileiros.
Neste ano, para realizar a campanha, o Instituto Ecofuturo conta com o apoio de diversas instituições parceiras. Confira quem são elas: ANJ; AEILIJ - Associação de Escritores e Ilustradores de Literatura Infantil e Juvenil; ANL - Associação nacional de Livrarias; Blog do Ziraldo; Brinquebook ;Casa de Livros; Centro de Voluntariado de São Paulo; Cidade do Livro; Consed ;Escolas irmãs; FNAC POA; FNLIJ; Fundação Arymax; Fundação Bradesco; Fundação Gol de Letra; IDE Educação/ Leitura (escola de leitores); Instituto Ayrton Senna; Instituto C&A; Movimento Nossa São Paulo; OEI; Poiesis - PRALER - Prazeres da Leitura; Projeto Vamos Ler - Jornal da Manhã; Portal Setor 3; Rede ANDI; São Paulo: Um Estado de Leitores- Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de SP: ; UBE - União Brasileira de Escritores; Coordenadoria de Programas para a Juventude - Secretaria de Relações Institucionais do Estado de São Paulo ; Aliança pela Infância; Fundação Holcim ; Laé de Souza ; Alfasol; Educarede; Todos pela Educação; Instituto Arte na Escola; Movimento Brasil Literário; Fundação Fé e Alegria; UNDIME; Suzano Papel e Suzano Holding; Editora Globo; Bemvindo ; Literasampa; Projeto Arrastão; Instituto de Co-Responsabilidade pela Educação; Instituto Robert Bosch; Parceiros Pela Educação, Louis Dreyfus Commodities e LDC SEV Bioenergia, Fundação Abrinq – Projeto no Pé da Letra; IDE – Educação, Razão Social; Portal Amigos do Livro.


O Instituto

O Instituto Ecofuturo é uma organização social de interesse público criada e mantida pela Suzano desde 1999. Para o Ecofuturo, a palavra é a ponte para a sustentabilidade, por isso, investe no Programa Ler é Preciso, por meio do qual promove a leitura e a escrita entre crianças, jovens e adultos em nível nacional. Também realiza projetos que promovem o desenvolvimento de práticas de gestão sustentável em reservas naturais e centros urbanos, como o Parque das Neblinas e o Programa Investimento Reciclável.


Note e Anote
Lançamento

O artista plástico e escritor araraquarense Sidney Rodrigues lança seu terceiro livro no SESC

Sidney Rodrigues lança terceiro livro da carreira em noite especial no SESC Araraquara. O poeta explora a magnitude do amor em seus escritos com uma sensibilidade apurada para retratar o calor dos sentimentos mais genuínos e íntimos do ser humano. Depois de lançar dois livros que discorrem sobre o tema, “Amor Primeiro” e “Amor Eterno”, Rodrigues surge em nova empreitada por temas do coração: “Amor Perfeito” disserta sobre a plenitude das relações atemporais e sobre a beleza das ações tomadas pelo homem contemporâneo em suas atitudes.
Sidney, que também é artista plástico, apresenta uma preferência notável para a criação de poemas, que merece ser apreciada.  “Amor Perfeito” será lançado  hoje dia 13 de outubro, às 20h, na Sala de Múltiplo Uso 3. Grátis!







10 de outubro de 2010

Jean-Luc Godard no SESC


Mostra “1959” apresenta clássico de Jean-Luc Godard em sessão de cinema da semana


Poucos movimentos na história do cinema tiveram tanta influência quanto a nouvelle vague, surgida na França no final da década de 50: de espírito contestador e mostrando desapego aos padrões comerciais do cinema, lançaria diversos clássicos, estrelas do cinema e uma nova estética que se tornaria importantíssima para as gerações futuras, revisitadas incessantemente devido ao seu apelo vanguardista e estilo único. O SESC continua homenageando esse movimento com a mostra “1959: o Ano Mágico do Cinema Francês”, que tem apresentado as suas películas inaugurais, produzidas por diretores diversos.
Na sessão da semana, exibiremos um filme do cultuado Jean Luc-Godard, diretor francês nascido na década de 30 que se tornou um dos mais renomados do cinema europeu: “Acossado” é considerado referência quando falamos sobre o cinema de vanguarda produzido naquele período.
A película nos apresenta Michel Poiccard, homem que durante uma viagem para Paris, se envolve no assassinato de um policial. Chegando na capital francesa, ele conhece uma estudante americana, Patrícia, que é logo convencida a lhe oferecer um abrigo e, conseqüentemente, proteção das autoridades. A cumplicidade entre ambos cresce, na mesma medida em que os segredos e ambições de cada um são revelados. Envolvido por esse novo estilo de vida, planeja uma fuga para Itália com a parceira, sem esperar que seus inimigos já saibam sobre sua nova moradia e seguem em sua captura. “Acossado” será exibido no dia  17 de outubro, às 14h, com retirada de ingressos antecipados uma hora antes na Central de Atendimento. Grátis!