Quem Sou Eu???

Quem Sou Eu???
Uma Eterna Aprendiz...

Total de visualizações de página

Volta ao mundo... Estamos aqui!!!

Recent Visitors

Seguidores

Arquivo do blog

Postagens populares

17 de novembro de 2008

Denise Stoklos e Vozes Dissonantes!!!

Sua produção é intensa, assim como as suas habilidades são inúmeras. Autora, diretora, mímica, cenógrafa, figurinista, atriz...e muito mais: texto, direção, coreografia, sonoplastia, iluminação.Já se apresentou em mais de trinta países e em sete idiomas: inglês, francês, espanhol, alemão, russo, ucraniano e português.Aqui, no Brasil, ela leva um público significativo em suas montagens e encanta pelo seu profissionalismo e talento.No exterior (Edimburgh/Escócia, EUA/Nova Iorque, Escandinávia, etc), ela é referência importante sobre mímica e quanto à sua teoria do teatro essencial, que busca o máximo de teatralidade (utilizando os próprios meios do ator, que são o corpo, a voz e o pensamento) com o mínimo possível de efeitos cênicos. Além disso, foi a primeira atriz brasileira a se apresentar em Moscou, Pequim e na Ucrânia.Comemorando 40 anos de carreira o SESC recebeu três espetáculos, Mary Stuart (1987), Calendário da Pedra(2001) e Vozes Dissonantes(1999).Denise Stoklos conta a história dos rebeldes brasileiros que levantaram suas vozes contra ordens oficiais do país durante os 500 anos do Brasil. O objetivo é abordar as expressões de filósofos, estetas, políticos, poetas, de figuras como Padre Antônio Vieira, Tiradentes, José Bonifácio, Milton Santos e outros que inspiraram a criação de novos rumos para uma sociedade ainda jovem e plena de futuro.Denise domina o palco com maestria e perto dos 60 anos parece uma garota de 20.Sua energia e talento nos leva a uma viagem pela história do Brasil e suas caras e bocas nos faz ir do choro ao riso.Com uma trilha sonora caprichada Denise é prova sólida de irreverência, maturidade e é claro muito talento.


A trilha de Vozes Dissonantes merece menção especial, com a inclusão de duas canções lindíssimas (One do U2 e Fado Tropical de Chico Buarque), expressando ao mesmo tempo o amor, a exploração dos seres humanos e a nossa dependência, primeiro de Portugal e agora dos Estados Unidos.

Nenhum comentário: